PortalSousas - Tudo Sobre Sousas e Joaquim Egídio

Siga-nos no Twitter

Efetuar login | Cadastre-se, é grátis!

Publicidade:

Body Concept - Sthetical Center Sousas banner

Detalhes do Anunciante

Wizard Sousas

Escola de Idiomas localizada em Sousas, com cursos de Inglês, Espanhol, Italiano, Francês, Alemão, Japonês, Chinês (Mandarin) e Português para estrangeiros. Se o número de telefone estiver errado, por favor entre em contato.

Endereço: R. Antonio Carlos Couto de Barros, 1445 - Sousas - Campinas/SP
Fone: (19) 0-

e-mail
  • Sobre a Wizard
  • Curso de Inglês
  • Curso de Espanhol
  • Curso de Chinês
  • Curso de Alemão
  • Curso de Francês
  • Curso de Japonês
  • Curso de Italiano
  • Curso de Português

Sobre a Wizard

Em 1987 nascia em Campinas (SP) a maior rede de ensino de idiomas do mundo. A partir de uma simples escola, iniciou-se a construção de uma grandiosa rede de ensino, que já atravessou as fronteiras do nosso país. Com uma metodologia totalmente diferenciada, a Wizard aposta em cursos que acompanham as características particulares de cada aluno, preparando-o para aproveitar totalmente o seu aprendizado. Desta forma, sempre procurando valorizar o aluno, a Wizard continua a ser a principal rede de ensino de idiomas do Brasil. Já ultrapassou a marca de 1200 escolas e não para de crescer.

A Wizard possui unidades no Brasil, nos Estados Unidos, no Japão, Paraguai e Costa Rica. A Wizard oferece cursos em oito idiomas (Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Alemão, Português para estrangeiros, Japonês e Chinês), e é pioneira no ensino de inglês em Braile. É a primeira também a utilizar a certificação internacional TOEIC como modelo pedagógico.

Desenvolvidas no modelo de franquias, as escolas Wizard representam uma excelente oportunidade para aqueles que querem investir em um novo negócio.

Além de contar com uma metodologia de ensino simples e de fácil gerenciamento por parte do franqueado, a rede oferece ao empreendedor todo o apoio necessário para seu desenvolvimento, como estruturação do imóvel e apoio de marketing. Além disso, investe constantemente na formação de seus franqueados e de seus professores por meio de treinamentos específicos, convenções, congressos e iniciativas como o MBA Wizard e a WizardTV, canal corporativo disponível 24 horas ao franqueado.

Diferenciais

Mais que falar e escrever, o aluno fala desde a primeira aula e ainda aprende técnicas de liderança; Seu método é inovador com foco nos resultados; A Wizard possui certificação TOEIC como modelo pedagógico; A escola promove o Encontro Nacional Wizard nos maiores parques temáticos do Brasil; Oferece curso de inglês em braile e é a única rede de ensino de idiomas que possui um canal de TV próprio.

A Wizard atravessou as fronteiras brasileiras e hoje possui escolas nos Estados Unidos, América Latina e Japão. A rede gera mais de 15 mil empregos e atende cerca de meio milhão de alunos por ano.

A liderança da Wizard deve-se à qualidade do método de ensino que inovou o conceito em seu segmento de atuação. O resultado é uma metodologia com resultados acima dos registrados nos métodos convencionais.

 

Curso de Inglês

Para a vida profissional, pessoal, para o trabalho ou lazer, o inglês é, definitivamente, um idioma essencial para a vida contemporânea. É por isso que, na Wizard, você encontra o jeito mais fácil e rápido de aprender a língua mais falada do mundo! Confira todas as opções de cursos na unidade mais próxima de você!

METODOLOGIAS

TOTS

Os cientistas afirmam que a melhor fase para se aprender um novo idioma é entre os 5 e 7 anos. Por isso, a Wizard criou um curso voltado especialmente para crianças nesta idade. Com jogos, histórias, rimas, músicas, brincadeira e teatro, a criançada aprende o novo idioma como se aprendesse seu idioma de origem, e a comunicação oral e o desenvolvimento da leitura e da escrita são trabalhados lado a lado com atividades descontraídas, confortáveis e divertidas.

KIDS

Para os pequenos com idade entre 8 e 10 anos, a diversão é obrigatória no curso Kids da Wizard. Atividades preparadas por profissionais especializados e qualificados unem brincadeiras a um ensino sério e muito eficiente. No curso Kids, as crianças desenvolvem suas habilidades de comunicação oral, compreensão e desenvolvimento da leitura e escrita.

TEENS

Na adolescência, falar um idioma fluentemente pode ser questão acadêmica, profissional, uma necessidade de quem precisa viajar ou vai fazer um intercâmbio internacional. Por isso, o curso Teens foi desenvolvido especialmente para esta fase da vida. Além de enfatizar a conversação, este curso apresenta uma gramática direcionada, que visa não só o acompanhamento escolar, como também a preparação para exames específicos, como o vestibular.

ADULTOS

Programa de Graduação Bilíngue
Para adultos de qualquer idade quem tem como objetivo tornar-se um profissional bilíngue, com uma formação sólida e certificada, a Wizard possui o Wizard University. Neste curso, que conta com material didático altamente tecnológico e sempre atualizado, o aluno passa por oito semestres de “graduação”, ampliando o vocabulário, treinando e aperfeiçoando a fluência e testando sua proficiência com as provas do TOEIC. Após a graduação, é possível cursar mais quatro semestres de “pós-graduação”, consolidando-se como um profissional bilíngue, especializado e fluente no idioma!

POR QUE ESTUDAR INGLÊS?

O inglês é, atualmente, a língua mais falada no mundo por falantes não nativos. É também a mais utilizada em publicações de livros e na Internet e em atividades comerciais entre estrangeiros de diferentes nacionalidades. Segundo o British Council, uma em cada quatro pessoas no mundo fala inglês com certa competência. No Brasil, de acordo com pesquisas, 70% das empresas internacionais buscam profissionais que falem o inglês. Outro dado relevante é que o salário de uma pessoa com bom domínio nessa língua, se comparado ao daqueles com as mesmas qualificações, pode ser de 30% a 50% maior. Estas são algumas razões bastante atraentes para aprender essa língua.

COMO ESTUDAR INGLÊS?

Gramática, tradução, conversação e interpretação são tópicos importantes no aprendizado, não só do inglês, mas também, de muitos outros idiomas.

Na verdade, é a união desses quatro temas que fará com que o aluno domine de uma certa forma a língua inglesa.

- A gramática permitirá que o aluno comece a organizar as ideias e a construir frases.
- A tradução fará com que o estudante memorize o vocabulário além de treinar a leitura e a escrita.
- A conversação dará ao aluno mais confiança, além de melhorar a pronúncia.
- Ao construir e interpretar textos, os alunos poderão aplicar todo o conhecimento da língua.

Claro que para um bom resultado é preciso que o aluno tenha realmente um interesse e empenho nos estudos.
A língua inglesa é repleta de “pegadinhas” e gírias e existem dicionários especializados para a compreensão do idioma. Na internet, esses dicionários somente de gírias e expressões urbanas são conhecidos como “Slang Dictionaries” e são de extrema importância para o conhecimento geral da língua. Para quem trabalha com tradução, esses dicionários (virtuais ou não) são essenciais para o sucesso no trabalho

EXAMES DE PROFICIÊNCIA EM INGLÊS

As certificações internacionais têm a finalidade de comprovar seu nível de conhecimento e desenvoltura na língua. São solicitadas pelas maiores universidades e empresas do mundo. No Brasil, são inúmeras as empresas que exigem uma certificação dessas de seus funcionários ou futuros funcionários. Ou seja, no mercado de trabalho e no mundo acadêmico, ter uma certificação internacional faz toda a diferença.

Entre os principais e mais aceitos exames internacionais estão: TOEFL e TOEIC, ambos administrados pela ETS; FCE, CAE e CPE, administrados pela University of Cambridge; e o IELTS administrado por British Council, IDP e University of Cambridge. Cada um desses exames possui uma característica e público específico. O TOEIC é mais solicitado em empresas, órgãos governamentais, cursos de graduação em alguma universidade, etc.

HISTÓRIA DA LÍNGUA

Com uma história de cerca de 1500 anos, o inglês surge com os idiomas falados pelos povos germanos que a partir do século V ocupavam onde é a atual Inglaterra, com destaque para os Anglos e os Saxões. O idioma que começou a nascer nas ilhas britânicas a partir de então recebe o nome de "Old English", "Anglo-Saxão" ou ainda "Englisc" no original, significando "língua dos anglos".

A língua inglesa tem sua origem e evolução em três períodos distintos:

Old English - a primeira forma do idioma, em voga entre os séculos V e XI
Middle English - seu desenvolvimento médio, do séculos XI ao XVI
Modern English - a forma moderna do idioma, do século XVI aos dias atuais

O vocabulário da língua evoluiu gradualmente, e com a introdução do cristianismo ocorre a primeira influência de palavras do latim e do grego. Mais tarde, invasores escandinavos que falavam o nórdico antigo (old norse, língua que provavelmente assemelhava-se ao dialeto falado pelos povos anglo-saxões) também influenciou o inglês. O Old English é uma língua preservada em diferentes fontes, como inscrições rúnicas, traduções bíblicas complexas e fragmentos diversos.

A maior diferença entre o Old e Middle English está na gramática. Acredita-se que o estágio seguinte da língua, o Middle English inicia-se com a batalha de Hastings, em 1066, onde o rei William o conquistador derrotou o exército dos anglo-saxões e impôs suas leis, seu sistema de governo e sua língua, a francesa. Desse modo, novas palavras são incorporadas à língua falada pelas pessoas comuns, isto é, por servos e escravos. Mais tarde, muitos dos novos termos passaram a ser usados na corte e no militarismo adquirindo, portanto, um elevado status social.

Já o inglês moderno, como conhecido pela obra de William Shakespeare, em geral é datado a partir de 1550, quando a Grã-Bretanha se tornou um império colonial, espalhando-se por todos os continentes.

Em geral, a diferença entre o Old e o Modern English está na forma escrita, na pronúncia, no vocabulário e na gramática. Comparado ao inglês moderno, o Old English é uma língua quase irreconhecível, tanto na pronúncia, quanto no vocabulário e na gramática.

PAÍSES ONDE O INGLÊS É A LÍNGUA OFICIAL

Não necessariamente o país que adota a língua ingesa como oficial, a utiliza no dia a dia. Então costuma-se dividir entre os países que têm o inglês entre oficial de facto e oficial de jure. Os países com adoção de jure e de facto são somente: Estados Unidos, Reino Unido e Nova Zelândia. Todos os demais são apenas de jure.

Veja os países:

Antígua e Barbuda, Austrália, Bahamas ,Barbados, Belize, Botswana, Canadá, Ilhas Fidji, Gâmbia,Gana, Granada, Guiana, Índia, Irlanda, Jamaica, Queria, Kiribati, Libéria ,Malai, Malta, Ilhas Marshall, Ilhas Maurícias, Micronésia, Namíbia, Nova Zelândia, Nigéria, Paquistão, Ilhas Palau, Panamá, Papua Nova Guiné, Filipinas, Ruanda, Saint Kitts e Nevis, Santa Luzia, São Vicente e Granadinas, Seychelles, Serra Leoa, Singapura, África do Sul, Suazilândia, Tanzânia, Trinidade e Tobago, Reino Unido, Estados Unidos, Vanuatu, Zâmbia e Zimbabwe.

 

Curso de Espanhol

Na Wizard, aprender espanhol, a segunda língua mais falada no mundo, é fácil! Com uma metodologia baseada em avançadas técnicas da neurolinguística, toda a base e estímulos necessários são fornecidos aos alunos, para o melhor aprendizado do idioma.

POR QUE ESTUDAR ESPANHOL?

Mais de 400 milhões de pessoas em todo o mundo (40 milhões só nos Estados Unidos) têm o espanhol como língua materna, sendo que outros tantos o estudam como segundo idioma. O espanhol é a quarta língua mais falada no mundo, superado apenas pelo Inglês, Mandarim e Hindu.

O espanhol é a segunda língua mais usada nos negócios e as tendências indicam que para o ano 2.050 serão 550 milhões de pessoas falando este idioma no mundo.

O Brasil está cercado de países que falam espanhol. O espanhol tornou-se um dos principais veículos de comunicação nos meios diplomáticos, no comércio mundial, nas competições esportivas, no turismo, nos encontros de líderes políticos mundiais, nos congressos sobre ciência, tecnologia entre outros. Por isso é de suma importância conhecer a língua espanhola para não se sentir isolado no mundo globalizado de hoje.

Os alunos esperam aprender espanhol muito rápido e ficam desanimados quando isso não acontece. É preciso tempo para ter um espanhol perfeito, ainda que você seja brasileiro. O português tem muitas palavras parecidas, mas o aprender uma nova língua deve ser um trajeto feito em passos pequenos e administráveis .  O progresso dependerá do seu esforço e dos recursos que você tem à disposição, leia, assista, escute a língua espanhola para progredir a cada dia.

EXAMES DE PROFICIÊNCIA EM ESPANHOL

Os Diplomas de Espanhol como Língua Estrangeira (DELE) são títulos oficiais, níveis de competência e domínio do idioma espanhol, concedido pelo Instituto Cervantes em nome do Ministério da Educação e Ciência da Espanha. É uma forma de comprovar a sua proficiência em espanhol.

HISTÓRIA DA LÍNGUA

As primeiras aparições do Espanhol foram registradas na forma de notas e glossários contidos em textos religiosos escritos em Latim, os Glosas Emilianenses, que datam do século 11. Durante o século 12, códigos de lei - os chamados Fueros - foram traduzidos para o Espanhol. A prosa espanhola floresceu durante o reinado do Rei Afonso X, o Sábio de Castela (1252-84), que além de ser rei e poeta, encontrou tempo para escrever uma enciclopédia em Espanhol chamada Las Partidas, contendo leis, crônicas, receitas e regras para caça, xadrez e jogos de cartas. A primeira gramática do Espanhol, escrita por Antônio de Nebrija, assim como os primeiros dicionários da língua espanhola, foram publicados durante os séculos 15 e 16.

O espanhol originou-se no reino medieval de Castela. Tanto na Espanha como na América Hispânica, o idioma também é conhecido como castelhano, em referência à sua região de origem. A denominação "castelhano" mostra-se especialmente popular no Cone Sul e entre os demais falantes das línguas oficiais da Espanha, como o catalão, galego e valenciano, nas respectivas regiões da Catalunha, Galícia e Valência. Ao fim do século XV, o idioma expandiu-se pela América recém-descoberta.

PAÍSES ONDE O ESPANHOL É A LÍNGUA OFICIAL

Hoje, além da Espanha, a língua é falada oficialmente em outros 20 países. A língua castelhana é o idioma da Espanha, e de vários países da América Latina (exceto Brasil, Haiti, Guianas e algumas ilhas caribenhas), Filipinas, Ásia, e Guiné Equatorial, além da África.

 

Curso de Chinês

Por que estudar Mandarim?

Estudar mandarim é pensar no futuro? Se levarmos em conta os números promissores da China, hoje a segunda maior potência econômica do mundo, perdendo somente para os Estados Unidos, sim, vale a pena ter a língua chinesa no currículo. Mas a vantagem não para por aí, já que o país, o mais populoso do planeta, com mais 1,3 bilhões de habitantes, segundo dados do Banco Mundial, influencia fortemente o mercado global, sendo atualmente responsável por, pelo menos, 60% da recuperação da economia mundial após a crise do sistema financeiro de 2008. Ainda conforme o Banco Mundial, até 2030, a China poderá se tornar a maior potência econômica do mundo se mantiver seu crescimento anual médio de 8% ao longo dos próximos vinte anos.

Atualmente há uma grande procura por profissionais que falam mandarim e a tendência é a de que a procura cresça ainda mais. Com a inserção cada vez maior da China na economia mundial, não há nenhuma empresa no mundo hoje que organize seus negócios sem levá-la em consideração. Portanto, ter o conhecimento da língua chinesa torna-se cada vez mais importante.

Como estudar Mandarim?

Uma característica básica do chinês: a língua escrita e a falada são independentes, a escrita usa símbolos e não há alfabeto, cada palavra tem sua pronúncia e um desenho como sua forma escrita. Isso pode ser uma dificuldade para nós, pois o alfabeto facilita o aprendizado de qualquer língua. Porém na chinesa alfabetos e métodos como pinyin (romanização adotada universalmente para estudo do mandarim) são incapaz de ser objetivo como os ideogramas, outro ponto que facilita no aprendizado é a ausência de conjugação verbal.

Uma boa maneira para aprender e válida para todos os idiomas; ler, ouvir, falar e escrever. Iniciando com mais básico, como dizer Ni Hao”(你好) (Ni quer dizer você, Hao é bom).

Como dica, não tente traduzir as palavras e encontrar um sentido rapidamente. Identifique a ideia central, mas não tente compreender todo o significado. A forma como as ideias são expressas é um elemento muito importante no estudo chinês e isso se aprende com o tempo e prática.

Exames de proficiência em Mandarim

O Exame de Proficiência em Língua Chinesa, conhecido como HSK, é a certificação reconhecida pelo governo da República Popular da China e por todos os órgãos ligados à educação da China. Com ele é possível ingressar nas universidades chinesas para programas de intercâmbio, pós graduação, mestrado ou doutorado.

História da Língua

O termo “Mandarim” nasceu das relações comerciais entre portugueses e chineses no início do século XVII. Os comerciantes portugueses que aportavam nas cidades chinesas em busca de chá, seda e outros artigos exóticos, tratavam dos negócios com funcionários determinados pelo governo imperial da China. Os seus subordinados eram proibidos de entrar em contato com os forasteiros, e assim o comércio era, apenas, feito com os chineses que mandavam. Por isso, no Ocidente, o idioma utilizado por estes funcionários ficou conhecido como “mandarim”.

O mandarim possui oitenta mil caracteres, chamados de hanzis; porém, apenas, sete mil são mais usados.Em 1956, o mandarim tornou-se a língua nacional da China.Não existe uma identidade comum “mandarim” baseada no idioma; em vez disso, existem fortes identidades regionais, centradas em cada um dos dialetos individuais, devido à ampla distribuição geográfica e diversidade cultural de seus falantes. Deve-se ressaltar também que, apesar de seu uso difundido no Ocidente, a maior parte dos falantes nativos de mandarim são relutantes em reconhecer o termo mandarim para descrever o idioma, já que a palavra não reflete qualquer origem chinesa; em vez disso, costuma-se referi à língua simplesmente como ‘chinês padrão’.

Países onde o Mandarim é a língua oficial

Uma pesquisa nacional do Ministério da Educação da China mostrou que hoje em dia 94% dos chineses falam mandarim, a língua oficial do país, na China chamada de putonghua, e em Taiwan, Guoyu. Nada surpreendente para uma população que possui 55 minorias étnicas (10% da população em termos quantitativos), todas com línguas próprias.

 

Curso de Alemão

Por que estudar Alemão?

Alemão é uma das principais línguas na ciência, pesquisa e tecnologia, mas também no âmbito da cultura e do turismo ela é imprescindível. A Alemanha está no centro da Europa e, hoje, mais de 100 milhões de pessoas se comunicam em alemão.

Quem de fato quiser participar ativamente do futuro, está no rumo certo, investindo em alemão!

Com conhecimentos de alemão, você melhora as suas chances no mercado de trabalho, e estará um passo à frente dos outros: internacional, competente e versátil. A Alemanha, como a maior potência econômica da União Européia e a terceira maior do mundo, tem muito a oferecer!

Como estudar Alemão?

Aprender alemão pode ser bem mais fácil do que você pensa. Uma língua é sempre mais que um conjunto de regras, é também uma porta aberta para se entender melhor o país e as pessoas. Se falar alemão, vai ver como se vai sentir muito mais parte do país em uma futura viagem. O melhor é inscrever-se num Curso de Alemão. Mas antes e durante o curso, há muitas maneiras de melhorar o seu alemão: pela internet, ouvindo músicas, vendo programas na TV e conversar com nativos.

Exames de proficiência em Alemãos

Testes de proficiência de idiomas estrangeiros são uma das exigências para ingressar em cursos de graduação no exterior ou concorrer a bolsas de estudos.

Os países da União Europeia, em geral, seguem uma tabela comum de níveis de domínio de um idioma. A escala é dividida em seis níveis, que vai de A1, o mais básico, a C2, proficiente. Em geral, a exigência para estudo no exterior é do nível B2 (equivalente ao intermediário avançado) ou os dois níveis acima dele, que são o C1 (fluente) e o C2 (nativo).

Na Alemanha, vale o exame onDAF (online-Einstufungstest Deutsch als Fremdsprache) e também o do Instituto Goethe. Apesar de ambos serem reconhecidos por universidades alemãs, cheque com antecedência qual é o mais indicado.

História da Língua

Na antiguidade, devido ao isolamento físico (montanhas íngremes e florestas escuras), desenvolveram-se dialetos regionais muito distintas em toda a Alemanha, além dos padrões de colonização, da migração dos povos ou Völkerwanderung, das rotas de comércio e de comunicação (principalmente os rios).

Esses dialetos, muitas vezes mutuamente incompreensíveis, foram utilizados por todo o Sacro Império Romano-Germânico. Como a Alemanha estava dividida em muitos Estados distintos, não havia uma força unificadora ou uma padronização alemã até que Martinho Lutero traduziu a Bíblia (o Novo Testamento em 1521 e o Velho Testamento em 1534). Graças à tecnologia inventada pelo compatriota de Lutero, Johannes Gutenberg, a difusão da língua estandardizada foi muito facilitada.

A variedade regional (dialeto) na qual Martinho Lutero traduziu a Bíblia hoje em dia é considerada o modelo sobre o qual foi construído o alemão padrão clássico ou Hochdeutsch. Hoch, “alto” eDeutsch significa “alemão clássico”, e não alto-alemão. Quase todo material utilizado pelas empresas de comunicação e quase todo material impresso é produzido principalmente nessa variedade ou dialeto oficial alemão. O alemão clássico é compreendido por todo o país, mas todas as regiões possuem seus distintos dialetos.

O primeiro dicionário dos Irmãos Grimm, ou Gebrüder Grimm, do qual dezesseis partes foram lançadas entre 1852 e 1960, permanece como o guia mais compreensivo das palavras do idioma alemão.

Em 1860, regras gramaticais e ortográficas apareceram pela primeira vez no Duden Handbuch. Em 1901, o Duden foi declarado o padrão definitivo do idioma alemão, em relação a esses assuntos linguísticos. Somente em 1998, algumas dessas regras foram oficialmente revisadas.

Hoje, cerca de 120 milhões de pessoas são falantes nativos da língua Alemã, principalmente na Alemanha, Áustria e Suíça, onde é língua oficial, mas também na Rússia, Cazaquistão, Romênia, Brasil, Estados Unidos e outros. Como diz o velho ditado, o alemão é uma língua de Dichter und Denker (poetas e pensadores).

Países onde o alemão é a língua oficial

O alemão é a única língua oficial na Alemanha, Liechtenstein e Áustria. É língua co-oficial na Bélgica, Luxemburgo, Suíça , na Itália (no Tirol Meridional), em Voivodia de Opole  e em Antônio Carlos. É uma das 21 línguas oficiais da União Europeia, assim como uma das três línguas de trabalho da Comissão Européia (com o francês e o inglês).

 

Curso de Francês

Por que estudar Francês?

Aprender francês é a oportunidade de se comunicar com mais de 200 milhões de pessoas ao redor do mundo.                                        

Além de que a França é um dos países mais visitados do mundo. Por isso, quem possui uma noção do idioma tem a possibilidade de fazer uma viagem mais confortável, além de compreender a cultura e as características de seus nativos.                                                         

É a língua oficial de trabalho da ONU, OTAN, UNESCO, Cruz Vermelha e dos campeonatos internacionais de tênis.  O francês é a língua internacional para a gastronomia, moda, teatro, artes visuais, dança e arquitetura. Conhecer a língua francesa significa ter acesso, em versão original, aos grandes textos da literatura francesa, bem como ao cinema e à música. O francês é a língua de Victor Hugo, de Edith Piaf, de Jean-Paul Sartre, de Alain Delon, de Zinedine Zidane, entre tantos outros.

Como estudar Francês?

Assim como para outros idiomas, para aprender o Francês é preciso ter disciplina e estudar, 15 minutos por dia, todos os dias, são mais que suficientes. Também é preciso ter motivação, escrever, falar e ouvir são muito importantes para a fixação do novo idioma. Seja persistente e não tenha medo de errar.

Exames de proficiência em Frances

As provas oficiais de proficiência em francês são:                                                

DELF – Diplôme d’Etudes en Langue Française                                                   

DALF – Diplôme Approfondi de Langue Française                                            

TCF – Test de Connaissance du Français                                                                

TEF – Test d’Evaluation de Français

Por serem oficiais, todas as instituições de ensino devem aceitar do candidato o comprovante de resultado de qualquer uma das provas acima listadas.

História da Língua

O juramento de Estrasburgo do ano 842 é texto mais antigo em francês. Outros povos contribuíram mas pode-se dizer com toda a certeza que o francês é um latim influenciado pela pronuncia franca e gaulesa (celtas). A unificação linguística dos dois principais grupos linguísticos (norte = langue d’oil, sul=langue d’oc) se deu por meio da influência política e cultural de Paris (norte). Importante também nessa história foi a invasão vinda da Normandia (noroeste da França) para a Inglaterra em 1066. Durante três séculos o francês foi a língua oficial da corte inglesa e dos assuntos de estado. França e Inglaterra interagiram politicamente e culturalmente durante todo esse período. Esse evento foi muito importante para a história da língua inglesa e contribuiu com muitas palavras francesas na língua inglesa. Em 1539, o rei François I criou uma lei, conhecida como a ordenança de Villers-Cotterêts, que mandava substituir o latim pelo francês nos temas administrativos e judiciais.

Esta língua se chamou “Le Moyen Français”, o francês médio. Lhe seguiu um processo de unificação, regulação e purificação da linguagem que criou o “Le Français Classique” o francês clássico. A língua francesa que vai desde o século XVII até a atualidade é o que denominamos “Le Français Moderne” o francês moderno. Desde os séculos XVII, XVIII e XIX, o francês foi uma língua que teve muito prestigio, reconhecida como língua da elite cultural europeia e especialmente importante para a literatura e a arte. Os monarcas Federico II de Prússia e Catalina a Grande de Rússia podiam falar e escrever em francês. A língua francesa oficial é o resultado do controle da Academia, a educação pública e os meios de comunicação.

Apesar disso, hoje em dia segue havendo diferentes dialetos do francês. Para alguns críticos, a melhor pronunciação do francês é a da região de Touraine (ao redor de Tours e o vale de Loire), mas o aumento dos meios de comunicação e a diminuição de ataduras a um território determinado, fazem que o futuro dos sotaques regionais seja muito difícil de predizer.

Países onde o Francês é a língua oficial

Na França e em outros 53 países se fala francês. É a língua oficial de 25 países. Em alguns países existe uma grande população francófona, e em outros a língua se usa na administração, no comércio ou na comunicação internacional. Se fala francês nos seguintes países: Argélia, Camboja, Egito, Grécia, Guiné-Bissau, Índia, Itália, Marrocos, Polônia, Trinidade e Tobago, Reino Unido (Ilhas Anglonormandas ou do Canal da Mancha), Estados Unidos (Luisiana e Nova Inglaterra), Cidade do Vaticano e Vietnam.

 

Curso de Japonês

Por que estudar Japonês?

O japonês é falado por mais de 100 milhões de pessoas no mundo todo e apesar disso, não é considerada uma língua mundial. Para ser considerada uma língua mundial, teria que ter abrangência continental, como o Inglês, o Francês e o Árabe, segundo os etnólogos.  Mas é considerada regional, por ser praticada, além do país nativo, apenas em comunidade de falantes.

O Brasil abriga a maior comunidade de falantes da língua japonesa depois do Japão, devido à imigração.  Mas o japonês também é falado nas comunidades japonesas na Austrália, nos Estados Unidos, no Peru, onde também houve imigração legalizada. E na China, na Coréia, em Taiwan, devido à ocupação desses territórios pelo Japão.

A estimativa é que 3 milhões de pessoas estudem a língua atualmente. A restrição do uso comercial da língua não impede que os estudantes se entusiasmem com a aprendizagem.

Como estudar Japonês?

Aprender como falar Japonês exigirá muito treino e persistência, em média leva-se de 6 a 9 anos para um brasileiro falar fluentemente o japonês, visto que não é uma língua praticada no Brasil e não é uma língua universal, como inglês.

Cada pessoa tem sua forma de absorção do conteúdo, então é claro que você poderá reduzir ou aumentar o tempo indicado pelo professor para aprender japonês.

Exames de proficiência em Japonês

A Avaliação de Proficiência na Língua Japonesa Japanese Language Proficiency Test (日本語能力試験, nihongo nōryoku shiken), ou JLPT, foi criado para avaliar e certificar a proficiência no idioma japonês aos não nativos. Ele é realizado duas vezes ao ano na Ásia Oriental e uma vez por ano, nas outras regiões.

A Fundação Japão estima que aproximadamente são necessários 150 horas de estudo para passar no exame de Nível 4 e 900 horas de estudo são necessários para passar no exame de Nível 1. Em 2008, o governo japonês anunciou, ainda em questão, de utilizar o JLPT para os estrangeiros que desejam ter um visto de longo prazo e para serem residentes permanentes.

História da Língua

Muitos historiadores acreditam que os caracteres chineses chegaram através de monges Budistas, que ao irem para o Japão, levaram consigo textos Chineses por volta do século V. Esses textos eram escritos na língua chinesa, e num primeiro momento teriam sido lidos como tal, mas com o passar dos anos, um sistema conhecido como kanbun (漢文)  foi desenvolvido. O novo sistema basicamente usava sinais para permitir que os símbolos chineses fossem usados como representação das palavras japonesas, preservando-se assim a língua nativa.

Como a língua japonesa não possuía uma forma escrita naquele tempo, surgiu um outro sistema chamado man’yogana que usava alguns caracteres Chineses baseados em sua própria pronúncia, ao invés de seu significado.

Durante o século VIII, época em que crescia a literatura japonesa, muitos símbolos chineses foram simplificados dando origem a um sistema baseado em fonemas que conhecemos hoje como hiragana. Nessa época, apesar das japonesas não terem acesso à educação e formação superior, muitas delas se destacaram no campo da literatura e contribuíram para a construção do hiragana.

Países onde o Japonês é a língua oficial

Embora falada quase que exclusivamente no Japão, a língua japonesa tem sido, e ainda é, falada em outros países. Estima-se que o número de falantes seja em torno de 127 milhões de pessoas. Quando o Japão ocupou a Coreia, Taiwan, partes da China e várias ilhas do Pacífico, os habitantes desses locais foram forçados a aprender a língua japonesa sob imposição de programas de hegemonização imperial. Por isso, ainda há muitas pessoas nesses países que falam a língua japonesa, tão-somente ela ou tão bem quanto falam as línguas locais. Além disso, emigrantes, a maioria vivendo no Brasil (onde está a maior comunidade japonesa fora do Japão), na Austrália (especialmente Sydney, Brisbane e Melbourne), nos Estados Unidos (notavelmente na Califórnia e no Havaí), também falam japonês com frequência. Também há uma pequena comunidade em Davao, Filipinas. Os descendentes dos emigrantes (conhecidos como nikkei, 日系, lit. “descendentes de japoneses”), porém, raramente falam a língua japonesa fluentemente. Estima-se que cerca de 3 milhões de não japoneses estejam estudando a língua.

 

Curso de Italiano

Por que estudar Italiano?

Por que hoje tantas pessoas estudam italiano? Apesar da importância política e econômica de outras línguas, o número de pessoas que estuda italiano cresce continuamente também em Países que não conheceram a imigração italiana.
A motivação mais comum é o enriquecimento cultural, seguido das exigências de estudo, de trabalho, para turismo ou por razões afetivas.

O italiano é uma língua de cultura, é a língua de Dante, do bom canto, da lírica. É a língua de grandes artistas, pintores poetas, escritores, filósofos. É além disso a língua do Papa, sendo a língua oficial, junto com o latino, da Cidade do Vaticano.

Como estudar Italiano?

Para aprender, você precisa treinar a língua Italiana. Assim sendo, separe um local da sua casa e um horário para se dedicar aos estudos dela. Para saber a quantidade de tempo que irá estudar por semana, pense na rapidez com que quer aprender essa o italiano. É diretamente proporcional: quanto mais você estudar semanalmente, mais rápido você aprenderá.

Esqueça o medo e comece a introduzir a língua italiana no seu dia-a-dia. Seja na sua assinatura dos e-mails, no meio de frases ou em um pedaço de letra de música que você postou nas redes sociais. Utilizá-la no dia-a-dia torna a língua muito mais do que um estudo – transforma-a em algo vivo, que realmente pode ser usado na sua vida.

Exames de proficiência em Italiano

CELI e CILS

Os dois atestam a proficiência em italiano. O CELI é concedido pela Universidade para Estrangeiros de Perugia. O CILS, pela Universidade para Estrangeiros de Siena. O primeiro tem 5 níveis e o segundo tem 4 níveis. A partir do último nível, pode-se dar aula de italiano.

História da Língua

Os textos mais antigos que se conservam em italiano (os anteriores se consideram latim vulgar) são fórmulas legais da Região de Benevento que datam dos anos 960-963 da era cristiana. O italiano se formalizou no século XIV com as obras de Dante Alighieri que misturou os dialétos do sul da Italia, sobre tudo o Siciliano, com seu dialéto da Toscana, para escrever poemas épicos que se conheceram como Comédia, mais tarde Boccaccio os chamaria Divina Comédia. As obras de Dante se leram em toda Italia e o dialéto no qual se escreveu se considerou um padrão standard que todos podiam reconhecer. Ainda hoje se reconhece a este autor por normalizar a língua italiana.

O italiano é uma língua romance que pertence a familia das indoeuropeias. Se fala na península italiana, sul da Suiça, San Marino, Sicilia, Córcega, Cerdenha, na costa norte do Mar Adriático, além do Norte e América do Sul.

Países onde o Italiano é a língua oficial

O italiano é língua oficial na Itália e em San Marino, e uma das línguas oficiais da Suíça. Também é a segunda língua oficial do Vaticano e em algumas áreas da Ístria, na Eslovênia e Croácia, como uma minoria italiana. Também é constantemente falado na Córsega e em Nice, antigas possessões italianas, além da Albânia.

É falado em certas partes da África, que incluem a Etiópia, Líbia, Tunísia e Eritreia. É constantemente usado por comunidades italianas vivendo no Luxemburgo, na Alemanha, Bélgica, nos Estados Unidos, no Canadá, na Venezuela, no Brasil, Uruguai, na Argentina e Austrália.

A presença de italianos é marcante em toda a América Latina. Neste caso, a presença da língua italiana, na maior parte dialetos nortenhos, é abundante no Brasil, Argentina e Uruguai. Nesses países, o espanhol e o português foram influenciados pelo italiano, particularmente em algumas regiões: (Rio Grande do Sul, São Paulo, Córdoba, Buenos Aires, Chipilo, etc).

 

Curso de Português

POR QUE ESTUDAR PORTUGUÊS?

O crescimento da economia brasileira e a maior presença de multinacionais no país aumentaram o interesse de estrangeiros em aprender a língua portuguesa.

Enquanto europeus e americanos enfrentam altas taxas de desemprego e risco de recessão, o Brasil se tornou o país da moda no exterior –e a língua portuguesa está cada vez mais pop.

Na última década, o número de inscritos no Celpe-Bras, exame de proficiência em português reconhecido pelo Ministério da Educação, saltou de 1.155 para 6.139.

Como estudar Português?

Além da Morfologia e da Sintaxe, é preciso estudar a Fonética, Concordância, Regência e Ortografia (acentuação, vírgula, catálogo de erros comuns da escrita e regras de grafia), além de Processo de Formação de Palavras e de Figuras de Linguagem.

História da língua

Curiosamente, o português surgiu da mesma língua que originou a maioria dos idiomas europeus e asiáticos. Com as inúmeras migrações entre os continentes, a língua inicial existente acabou subdividida em cinco ramos: o helênico, de onde veio o idioma grego; o românico, que originou o português, o italiano, o francês e uma série de outras línguas denominadas latinas; o germânico, de onde surgiram o inglês e o alemão; e finalmente o céltico, que deu origem aos idiomas irlandês e gaélico. O ramo eslavo, que é o quinto, deu origem a outras diversas línguas atualmente faladas na Europa Oriental.

O português originou-se do latim vulgar, que foi introduzido na península Ibérica pelos conquistadores romanos. Damos o nome de neolatinas às línguas modernas que provêm do latim vulgar. No caso da Península Ibérica, podemos citar o catalão, o castelhano e o galego-português, do qual resultou a língua portuguesa.

As grandes navegações, a partir do século XV d.C. ampliaram os domínios de Portugal e levaram a Língua Portuguesa às novas terras da África (Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe), ilhas próximas da costa africana (Açores, Madeira), Ásia (Macau, Goa, Damão, Diu), Oceania (Timor) e América (Brasil).

Países onde o inglês é a língua oficial

O mundo lusófono (que fala português) é avaliado hoje entre 190 e 240 milhões de pessoas. O português é a oitava língua mais falada do planeta, terceira entre as línguas ocidentais, após o inglês e o castelhano.

O português é a língua oficial em oito países de quatro continentes:

  • Angola
  • Brasil
  • Cabo Verde
  • Guiné Bissau
  • Moçambique
  • Portugal
  • São Tomé e Príncipe
  • Timor Leste

 

Título Aba 5

Conteúdo da aba 5.

Título Aba 1

Conteúdo da aba 1.

Título Aba 2

Conteúdo da aba 2.

Título Aba 3

Conteúdo da aba 3.

Título Aba 4

Conteúdo da aba 4.

Título Aba 5

Conteúdo da aba 5.

O PortalSousas não se resposabiliza por qualquer dano e/ou prejuízo que o usuário
possa sofrer ao realizar uma transação com os anunciantes. Desenvolvido pela S3Web
Unidade 2 MidSocial